INTERDISCIPLINARIDADE NA INFORMÁTICA

 

Proporciona a transformação da realidade considerando uma situação real, proporciona uma situação desejada comprometida com ações, um possível a se transformar em real, uma idéia a se transformar em ato. Resultado de um processo de construção, participação, cooperação, articulação e inter-relação entre sujeito-objeto, forma-conteúdo, interior-exterior, indivíduo-sociedade. Como (Barbier, 1994) enfatiza: 

“(...) a interdisciplinaridade provoca uma parceria entre teorias, conceitos, idéias, admitindo-se uma postura de humildade diante do conhecimento e do outro indivíduo, corroborando para superação da fragmentação disciplinar, articulação horizontal(entre disciplinas) e aprofundamento vertical (na identidade de cada disciplina).”     (Barbier, R., 1989, p. 89)

                             

                     Ciente dessa compreensão, Machado (1995) conclui que:

Juntamente com a informática e a Cibernética, o computador é um tema transdisciplinar e que favorece enormemente o trabalho interdisciplinar.’’

 

A idéia de transdisciplinaridade está relacionada ao fato de o computador propiciar, flexibilizar e expandir as fronteiras de uma disciplina. Afirma que o próprio computador não é um projeto e que o tema de um projeto não nasce do computador, a não ser fortuitamente, mas que é preciso ter um projeto educacional. Esta afirmação é compartilhada por Ferreira (1993), quando ela postula que:

“O que caracteriza uma prática interdisciplinar é o sentimento intencional que ela carrega. Não há interdisciplinaridade se não há intenção consciente, clara e objetiva por partes daqueles que a praticam. Não havendo intenção de um projeto, podemos dialogar, inter-relacionar e integrar sem, no entanto, estarmos trabalhando interdisciplinarmente.’’ (Ferreira, S., 1993, p. 34)

 

A verdade é que talvez o grande desafio para a interdisciplinaridade seja a necessidade elucidada por Demo (1995) de “aprender a aprender”, o que exige uma grande dose de humildade por parte do docente.        

O advento da Informática na Educação tem provocado o questionamento dos métodos e da prática educacional. Alguns autores defendem a tese de que o computador pode provocar uma mudança de paradigma pedagógico. Alguns fatos, tais como provocar mudanças, levantar questionamentos, gerar novas dúvidas, buscar soluções e despertar educadores adormecidos “em suas rotinas escolares que tanto ameaçam a educação bastariam para justificar a introdução dos computadores”.

 

Neste novo processo, a escola terá que rever sua postura, repensando currículos e metodologias, atentando para a sociedade pós-moderna e tecnológica na qual estamos mergulhados no conhecimento*e passando a ser um orientador e investigador na busca do conhecimento dos seus alunos, apoiando-os e aprendendo com eles.

 

O aluno, por sua vez, também passa por uma mudança no seu papel, deixando de ser um mero receptor para ser um construtor de seu conhecimento. Nos deparamos, assim, com um novo paradigma, que aponta necessidade da escola precisar se reestruturar perante as mudanças tão rápidas da atual sociedade. Suas antigas metodologias são falhas e inaptas, sendo necessário repensar sua estrutura como um todo (currículo, métodos, infra-estrutura, funcionamento).

Há que se ter cuidado de não tentar mascarar uma mudança, mas, buscar novas formas e usos para os serviços e ferramentas que a nova tecnologia nos oferece. Caso contrário, só haverá adaptação destas mudanças para antigas posturas, o que não levaria a uma educação realmente significativa para o nosso tempo.

 

A qualidade dos sites e das informações contidas neles é um outro ponto que precisa de um estudo mais aprofundado. Ainda se encontram poucos estudos em relação a este aspecto, sendo necessário levantar critérios e enfoques para a observação do material encontrado de forma crítica, sujeito a análises e não,  simplesmente, absorvê-los. Levantar os pontos que devem ser observados e relevados ao acessar os sites da Internet é um trabalho que requer a dedicação de educadores e alunos.

Finalizando, a Internet na educação é um campo fértil de pesquisa e com seu crescente uso nas escolas, devemos cada vez mais levantar para serem abordadas e consideradas pelos educadores. Existe todo um processo que está em construção no momento, educadores e alunos precisam se apropriar dessa nova ferramenta de modo a tornar o ensino-aprendizagem mais prazeroso e eficiente.

 



* Nessa nova realidade, os professores são chamados a deixarem de ser os detentores do conhecimento.